A CARÊNCIA URGE

 

“– Daqui não saio nunca mais! É a melhor coisa do mundo!”

Com as águas que desciam da montanha massageando suas costas, o mesmo garoto que agora tomava seu primeiro banho de cachoeira deixara escapar poucos minutos antes que não assistir a pornografia seria o mesmo que morrer virgem. Estes dois momentos insólitos mostram bem o que falta na vida de muitas crianças carentes das favelas brasileiras: falta praticamente tudo! De um simples passeio por uma trilha na floresta a boas referências para a construção de uma sexualidade sadia.

FOGO NA NOSSA SALA DE AULA

No segundo semestre deste ano dedicamos nossa agenda exclusivamente às crianças e adolescentes do Projeto Reconstruir, totalizando seis acampamentos para atender aproximadamente 60 jovens. A agenda do Lamalma é montada justamente pensando na sazonalidade das chuvas, que dão as caras em Setembro, se intensificam em Outubro, mas tomam corpo mesmo a partir de Novembro. Foi um grande sucesso e enorme satisfação para nós atender esse projeto, que é mantido pela nossa igreja em Belo Horizonte com extrema dedicação de voluntários e obreiros. Na impossibilidade de termos Wagner e Julia conosco, contamos com a proatividade hercúlea de nossos irmãos Benet e Fran, que também já foram voluntários no Reconstruir.

A última data, no entanto, reservou uma triste surpresa... Na eminência da chegada das chuva, com a mata já bastante seca, nosso estado enfrentou a maior onda de incêndios na região desde 2010! Por uma questão de segurança não pudemos realizar o último acampamento. Também o abastecimento de água na região estava comprometido, o ar estava irrespirável, e grande foi o esforço de bombeiros, brigadistas e voluntários para conter as chamas e proteger as instalação do rancho. Graças a Deus agora a chuva voltou! Tardou mas não falhou.

JOCUM MISSÕES E FRONTEIRAS

Eu e Michele passamos a integrar uma equipe de tradutores com vistas a divulgar na língua portuguesa os testemunhos de equipes missionárias da JOCUM Internacional que atuam entre os povos não alcançados ao redor do mundo. Se você também se sentir desafiado a colaborar na tradução e divulgação do que está acontecendo na ponta da lança de missões, entre em contato conosco! Mais informações sobre Missões e Fronteiras, clique aqui:  https://www.ywamfm.org/

Em Outubro promovemos mais um retiro missionário, o terceiro do ano realizado em parceria com a Global Equip. Esses encontros têm o objetivo de promover descanso e interação entre os missionários que atuam na região, além de oferecer ótima comida e palavras estratégicas e de encorajamento para missionários solteiros e casados. Para 2020 há planos de novos retiros, com o intuito de trazer para um ambiente de sossego e descanso missionários brasileiros e estrangeiros chegados nos últimos meses à nossa região.

Agradecemos a todos que têm nos sustentado em orações, financeiramente e participando conosco nesta aventura. Amamos o que fazemos, e amamos fazer isso junto com vocês!

Dúvidas? Falem conosco!

 

Forte abraço!!

Romeu de Almeida

06/11/19

UMA JANELA DE LIBERDADE

Um dia com meninos do regime socioeducativo

 

Ao se aproximar sem dizer nenhuma palavra, um membro de nossa equipe foi logo ouvindo do jovem que estava sentado em um tronco fitando as montanhas: “Lá onde estamos é muito ruim, tio!”. Por uma confluência de fatores que vão muitas vezes de um ambiente familiar e comunitário desfavorável, péssimas referências pessoais e de uma cultura de violência e ociosidade, muitos menores acabam em centros de detenção que integram o sistema socioeducativo brasileiro como consequência de atos como tráfico de drogas, roubo, assassinato, estupro, etc. De uma conversa iniciada entre uma aula e outra no curso Crianças em Risco na base de Heidebeek, na Holanda, em 2018, o Lamalma recebeu, finalmente, para um dia de aventura e lazer (não era permitido aos meninos dormir fora da prisão) um grupo de cinco adolescentes acompanhados de duas técnicas mais duas obreiras da JOCUM que têm trabalhado com esse grupo já há algum tempo. Não sabíamos exatamente o que esperar daquele encontro, pois era algo totalmente novo para nós. E o dia que começou com olhares desconfiados dos meninos terminou com sorrisos e uma mochila cheia de boas lembranças e lições de vida.

SUASE - Subsecretaria de Atendimento Socioeducativo

Na semana seguinte encontramos na rua uma das técnicas que acompanharam os meninos naquele dia. Dela ouvimos que uma transformação estava em curso; aquele dia havia ficado marcado no coração daqueles jovens, que passaram a incentivar os demais que não puderam ir por mal comportamento. Aos familiares que os visitavam não havia outro assunto que não fossem as atividades de aventura e as lições delas aprendidas. A técnica sugeriu de fazermos uma visita aos meninos, deixando-nos à vontade para fazê-lo, inclusive à noite, caso não tivéssemos outro horário disponível. Que grande satisfação! Glória a Deus pelos frutos muitas vezes invisíveis e pelo aprendizado de que somos apressados para julgar os outros, mas desconhecemos por completo o que se passa no seu interior; somente aquele que sonda os corações conhece perfeitamente qual é a intenção do espírito.

PRÓXIMOS PASSOS

Pela excepcional experiência que tivemos, nos foi perguntado se poderíamos promover outro encontro, desta vez com meninas do centro de detenção. Sobre esta outra aventura contaremos na próxima carta. Outro desdobramento disso tudo foi um convite que recebi (e aceitei prontamente) para falar na formatura do curso de inglês ministrado pela JOCUM no centro de detenção. Grande honra e responsabilidade, não?

Forte abraço!

Romeu de Almeida

30/06/19

O HORROR

Há pouco mais de 3 anos eu conhecia o Nô Alves na cidade de Barra Longa, município duramente afetado pelo rompimento de uma barragem de rejeitos de minério de ferro. A desolação dos moradores era refletida nos olhares perplexos mirando o mar de lama que cortava a pequena cidade. O próprio Nô era o retrato do desalento com seu andar cambaleante e a língua enrolada pela cachaça. Perdera tudo o que pôde conquistar com a força do seu trabalho. Mas ainda encontrava lucidez para agradecer pela vida poupada de seus familiares. Eu não tinha muito que fazer ali naquela ressaca coletiva, mas ouvir, ouvir e ouvir. Até hoje troco rápidas mensagens com ele, e posso dizer que ganhei nele um amigo.

Em Fevereiro deste ano foi a vez da Michele, com os pés firmados na lama, estender os braços a adultos e crianças afetados por outro rompimento de barragem, desta vez em Brumadinho, mesma cidade onde fazemos os acampamentos do Lamalma. Uma tragédia de dimensões bíblicas – é chocante quando se assiste ao vídeo do momento exato do rompimento. Uma calamidade humana e ambiental. Novamente, num primeiro momento o sábio foi ouvir, ouvir e ouvir. E Michele pôde fazer um pouco mais. Com a criatividade pôde trabalhar com algumas crianças da região afetadas direta ou indiretamente pelo desastre. Uma forma de amenizar o sofrimento e a dor daqueles pequenos que perderam, além de parentes e amigos, muitos sonhos, que foram enterrados na lama.

“(...) Pois o Senhor consola o seu povo e terá compaixão de seus afligidos” Is 49:13

2019, E ALÉM...

O Lamalma já tem a agenda praticamente fechada para 2019, e já estamos conversando sobre planos futuros, que incluem trazer crianças de lugares mais distantes, num raio de 200 km de Belo Horizonte. O alvo é atrair também projetos menores que atuam no interior do estado, onde é mais difícil conseguir recursos para proporcionar às crianças atividades como as que temos aqui. Seria fantástico! Orem por isso!

Recentemente fomos procurados pelos responsáveis de um projeto na zona da mata mineira que também atende crianças e adolescentes de favelas no Rio de Janeiro para uma conversa e troca de experiências. Eles gostariam de replicar parte das atividades que oferecemos aqui nas instalações que eles possuem no leste do estado. Uma honra para nós poder contribuir nesse sentido.

Logo publicaremos informações sobre os acampamentos, que começam no final de Fevereiro. O momento agora é de fazer os últimos contatos e ajustes para, enfim, trilharmos mais um ano de aventuras com o Senhor.

 

Deus os abençoe!

Romeu de Almeida

01/03/2019

UM PROJETO ESPECIAL

Ainda com as marcas dos carrapatos do final de semana anterior, rumamos para um dia de atividades de lazer com aproximadamente 40 crianças e adolescentes do Projeto Reconstruir no Rancho das Pedras Vivas. Intenso e tocante, pois se trata do projeto social apadrinhado por nossa igreja, que se desdobra para manter as portas abertas a jovens tão carentes de cuidado, estrutura familiar e boas referências. Já adiantamos que queremos desafiar você a orar para que em 2019 possamos oferecer acampamentos de finais de semana completos às crianças do Reconstruir. Seriam 6 finais de semana para atender todas as crianças, incluindo o transporte, pois este projeto não tem condições de arcar com tais despesas. Desafio lançado, esperamos que ano que vem estejam disponíveis aqui nos informativos os detalhes e frutos desse trabalho.

ANTES E DEPOIS

Às vezes Deus nos concede a graça de podermos nos deleitar nos frutos do trabalho. Pouco depois de um acampamento com os adolescentes da Missão Jeriel, em Outubro, fizemos uma visita ao grupo, então liderado por uma geração de jovens anterior à hoje atendida pelo projeto. Para minha grata surpresa, poucos minutos antes de a reunião começar, vejo uma bela jovem entrando com seu carron, já se posicionando para o louvor. “Eu te conheço, garota...”, eu disse, tentando puxar da memória o nome da menina. Ligeira, com um sorrisão no rosto, sacou seu celular, e depois de umas deslizadas de dedo me veio com uma imagem de pelo menos 8 anos atrás. Era ela clipada no cabo de segurança para descer a tirolesa e o tio aqui esperando para jogá-la sobre a lagoa no Centro de Aventura Novo Destino, onde começamos o trabalho com atividades de aventura voltadas para crianças. Imagina minha alegria ao ouvir dela: “Fiquei bastante feliz com esse reencontro! Sou grata demais por você. Se eu me tornei essa pessoa, grande parte devo a você. Aprendi muito quando era criança”. Graça pura poder viver momentos tão graciosos assim!

2018 começou um pouco tarde para nós devido à viagem para Holanda e problemas de saúde que precisaram ser tratados no primeiro semestre. Por isso, tentamos compensar intensificando os acampamentos no segundo semestre, e nessa correria tivemos um final de semana especial com jovens surdos e seus pais. Por ser assim tão importante a busca por vínculos familiares mais fortes, decidimos eternizar esses momentos presenteando os jovens com ampliações fotográficas suas com seus pais. É onde entra com força nosso amigo e fotógrafo Wagner Flores, com imagens de arrancar sorrisos de qualquer pai ou mãe.

SEMPRE SERÁ NATAL!

A despeito de toda incerteza e receio, naturais a nós criaturas, a certeza maravilhosa do filho que se nos deu, que traz em si os nomes Maravilhoso,

Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz (Is 9:6) vem carregada de esperança inabalável. No Deus menino reside nossa vitória. Glória ao Eterno pelo poderoso amor encarnado em Jesus, nosso Senhor e Salvador. É Natal! Que reine a Paz em vossos corações, queridos!

Forte abraço! Deus os abençoe!

Romeu de Almeida

11/12/2018

ADIADO PELA CHUVA

Todos mobilizados, mantimentos comprados, local preparado. Foi quando a chuva torrencial e o vento então trouxeram dúvidas e apreensão na sexta-feira à noite. Os temores se confirmaram no sábado bem cedo, quando recebemos a mensagem de que algumas mães preferiram não liberar seus filhos para o acampamento... Jamais havíamos experimentado um cancelamento até Julho, e agora este, em Agosto, fora o segundo em sequência, devido a motivos que fugiam ao nosso controle. A frustração foi grande – ainda mais porque depois da manhã de sábado, nenhuma gota caiu do céu, e o sol deu as caras –, mas, por outro lado, sabemos que Deus detém todo controle em suas mãos, e nada foge à sua atenção. Não sei se conseguiremos outra data para aquelas crianças entre 7 e 12 anos, mas já vínhamos orando por elas, e sabemos que tudo contribuirá para o bem delas. Se não for neste ano, certamente nos esforçaremos para que em 2019 elas tenham um final de semana de tirar o fôlego, e que jamais se esquecerão.

QUADRO VIVO

Observar barracas ‘acesas’ sob um céu estrelado significa mais do que apreciar um quadro vivo... Para nós significa testemunhar a concretização de um sonho. Antes mesmo de adquirirmos as barracas e os equipamentos que hoje usamos para os acampamentos já tínhamos em mente a utilização de lanternas e Bíblias nas barracas, de modo a estimular a leitura e agregar valor à experiência de aventura. Tudo dependeu de tempo, contatos e recursos financeiros para que em Junho de 2018 estreássemos nossas Bíblias e lanternas; um momento, confesso, que fez meus olhos se 

encherem de lágrimas. Alegria imensa ao ver as barracas iluminadas sob o céu estrelado, as silhuetas que despertavam em nós a curiosidade sobre em que parte do universo aquelas crianças estariam viajando naquele momento, ou onde estaria seu coração. Ou quem sabe se elas sentiam – tal como Sadraque, Mesaque e Abede-Nego – acompanhadas daquela outra figura de aspecto semelhante ao Filho de Deus no aconchego daquela pequena tenda.

REUNIÕES E CAPACITAÇÃO

Agosto foi mês de assembleia do Lamalma, na qual reunimos a diretoria, conselho e interessados em saber mais sobre o trabalho. Todos colaboraram com propostas riquíssimas que servirão para contribuir para o crescimento na excelência do trabalho. Propostas no sentido de aumentar o alcance da divulgação e promoção do projeto também foram discutidas. Momento incrível na caminhada do projeto, coroado com uma confraternização no melhor estilo Lamalma: Churrasco!!

Michele participou de um curso de capacitação para professores de crianças e juniores na Oitava Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte, com preciosas informações sobre como priorizar e aperfeiçoar estratégias que visam o ensino e o entendimento das crianças e juniores a respeito do reino de Deus. Foi mais uma ferramenta colocada em nossas mãos para nos capacitar e ajudar no trabalho.

Os próximos meses serão intensos. Por favor, orem pelos próximos acampamentos. A probabilidade de chuva aumentará a cada mês. Mas a aventura não pode parar! Forte abraço!

Romeu de Almeida

03/09/2018

O EXEMPLO DA PERSEVERANÇA

“Durante a trilha até as atividades, eu poderia escolher outro caminho , um atalho, um passagem mais fácil. Mas escolhi seguir com o grupo. Precisei de ajuda, e aprendi com isso.” Assim, uma voluntária americana, que ficará 3 meses ajudando no trabalho com a Casa Semear (JOCUM-BH), que atende jovens surdos, compartilhou sua experiência de percorrer a trilha que levava a alguns desafios de aventura. Ela, que além de surda sofre também de uma doença degenerativa chamada retinose pigmentar, não tem visão periférica, e enxerga como quem observa através de uma luneta. Muitos tropeços e topadas desde pequena fizeram dela um baluarte de perseverança e exemplo para os jovens que acamparam com o Lamalma juntamente com suas mães.

 

O propósito era estreitar os laços familiares e trazê-los para mais perto da Casa Semear, vencendo eventuais resistências – tanto das mães como dos filhos, com o tema acampamento: “O Deus das Gerações”. E nada melhor do que abordar o assunto em um ambiente descontraído e de desafios em meio à natureza. Foi libertador por si só, pois acampamentos assim revelam muito do poder de Deus. Mas também o foi por causa do que aconteceu até chegarmos ali...

FOI NO TRANCO

Depois de 3 meses divulgando o projeto, a primeira data agendada precisou ser trocada, em virtude de uma cirurgia que Michele precisou fazer. Então, passamos a mirar na segunda data. Mas então foi quando eu precisei fazer uma cirurgia, simples, porém de pós-operatório mais complicado. A ansiedade já pesava nos ombros, quando estourou a greve dos caminhoneiros e o país entrou em uma severa crise de abastecimento de bens e serviços. Seria um terceiro cancelamento? Dessa vez não! Conseguimos nos mobilizar e promover um acampamento maravilhoso. A tensão que eu sentia somente se dissipou na segunda-feira, depois de desmoronar de cansaço e despertar com o sentimento de alegria e alívio pelo que pude testemunhar naquele final de semana.

 

Apesar de todas as dificuldades, no período que precedeu o acampamento, nos mantivemos – e ainda estamos trabalhando nisso – na tradução de livros (Michele um e eu outro), além de estabelecer novos contatos com projetos, casas lares e orfanatos que porventura tenham interesse em oferecer acampamentos de aventura às crianças e adolescentes. Seguimos fazendo nosso planejamento e analisando onde ainda precisamos de meios e equipamentos para manter a excelência na proposta de mostrar Jesus através do poder da criação e dos relacionamentos saudáveis.

ORAÇÕES BEM-VINDAS

Entram aí alguns pedidos de oração por demandas específicas. Nossa necessidade primeira é de um carro grande exclusivo para o Lamalma – que inclusive pode ser o nosso próprio carro. Ele, no entanto, não está mais atendendo à nossa família, pois já é mais velho, consome mais combustível e tem apresentado problemas constantemente. Pretendemos – e precisamos – de um carro menor e mais econômico para nosso dia a dia. Também estamos trabalhando na reforma de algumas barracas e equipamentos, mas em breve precisaremos comprar novas tendas e uma lona grande para os dias de chuva. Ajuda tem chegado, somos gratos por isso, e pedimos que orem pelas pessoas que têm ofertado de coração ao Lamalma e à nossa família. Em breve teremos mais notícias, pois esperamos engrenar a quinta e seguir em frente!

 

Deus os abençoe ricamente!

Romeu de Almeida

04/06/2018

A VOLTA

De carro de Ermelo a Amsterdam. De Amsterdam a Paris de ônibus. Da França para o Marrocos e de lá até São Paulo, para somente então aterrissarmos em BH. Tudo isso com muita mala, bagagem de mão, mochilas com laptops, tablets (num total de 14 volumes!!!), duas crianças e um unicórnio (não é lenda!). Dessa forma voltamos ao Brasil depois de dois meses e meio na Holanda, numa primeira oportunidade de divulgarmos o Lamalma, nosso carro-chefe no trabalho missionário. Foram dias intensos de encontros, visitas, apresentações, reuniões e até uma entrevista para uma conceituada revista cristã de lá ! Fizemos tudo que estava ao nosso alcance para conseguir mais apoio nessa que foi nossa primeira oportunidade de divulgação fora do Brasil como organização institucionalizada. Muitos contatos foram feitos e cremos que ainda renderão bons frutos. O fato é que hoje temos garantido recursos para compra de comida para os próximos acampamentos neste ano de 2018. Ainda necessitamos de um carro para o projeto, bem como adquirir cordas e lonas sob medida para garantir noites tranquilas (e secas) durante a temporada de chuvas – que em Minas se estende até meados de Abril. Mas continuamos em oração para que tudo isso chegue no tempo certo. Contudo, iniciamos os contatos para os próximos acampamentos, onde teremos a estreia de nossa tão sonhada tríade Barraca + Bíblia + Lanterna. As lanternas, que era o que faltava para completar a trinca já foram compradas com dinheiro de uma oferta específica, e agora é caprichar nas fotos noturnas de barracas cintilando nas noites de aventura.

 

Nosso plano era de começar com um acampamento já no dia 17 de Março, mas acabamos de saber que Michele terá de se submeter a uma nova cirurgia para retirada de um carcinoma (tipo de câncer de pele), do mesmo tipo que ela teve no nariz, porém dessa vez, é nas costas. Nada muito complicado, mas é preocupante pela reincidência. Pedimos oração por isso.

Romeu de Almeida

07/03/2018

VÍNCULOS FORTALECIDOS

Em setembro realizamos mais um acampamento com lindas meninas atendidas pela Casa Semear, da JOCUM-BH, algumas delas recém-chegadas à Casa que atende a adolescentes e jovens surdos, um dos 10 grupos de pessoas menos alcançadas pelo Evangelho no Brasil. Foi uma oportunidade única e especial para que os líderes da Casa Semear estreitassem os laços com as meninas, ganhassem sua confiança e enchessem suas mochilas de inesquecíveis histórias e lembranças. 

CONTINUAR CAMINHANDO

Era nosso desejo, e também dos projetos sociais que atendemos, que promovêssemos mais acampamentos ainda nesse ano. Porém, basicamente por dois motivos isso não foi possível. O primeiro foi a falta de recursos. Dependemos de doações para a compra de mantimentos, e dessa vez o orçamento foi à lona. Sabemos que Deus tem tudo sob controle, e que qualquer coisa que disser respeito ao Lamalma tomará forma no tempo e da maneira certos, pois tem sido assim desde que eu e Michele entendemos e aceitamos o desafio de fé que é encabeçar esse trabalho. O segundo motivo foi a eminência da chegada da temporada de chuvas. Sem condição de abrigar adequadamente as crianças e adolescentes no caso de uma chuva mais forte, traçamos planos para adequar a área de camping, mas esbarramos no primeiro motivo. Nada que seja muito caro, mas ainda assim precisamos esperar.

Enquanto isso, tempo e esforços estão sendo direcionados à confecção de material de divulgação do projeto, uma vez que confirmamos nossas passagens para Holanda com vistas à divulgação e construção de novas pontes tanto para o Lamalma como para nossa família. E dá-lhe trabalho! Foram confeccionadas camisetas muito bacanas do Lamalma, que já estão disponíveis para compra, com o objetivo de ajudar o trabalho. Também estamos trabalhando em folders com informações tanto em Português como em Holandês, cartões de visita e outros materiais objetivando a divulgação do projeto. Um novo vídeo promocional está prestes a ser lançado. Clique aqui e assista ao teaser.

PARA 2018, UM LAMALMA 2.0!

Temos também muitas razões para comemorar! Recentemente conseguimos adquirir 18 travesseiros infláveis novos para disponibilizarmos nas barracas e fomos abençoados pela Editora Vida Nova com a doação de 20 Bíblias Mangá e 200 revistinhas para leitura nas barracas!! Faltavam apenas as lanternas de cabeça para que esse material pudesse ser disponibilizado nas barracas à noite. E, novamente, através de uma doação, conseguimos os recursos para comprá-las. Estamos orando agora para aquisição de lonas sob medida e um slackline. O ano de 2018 promete um Lamalma turbinado e muitas crianças recebendo mais amor, atenção, lazer e aventura. Uma campanha por pezinhos mais sujos de terra...

Romeu de Almeida - 21/11/2017

“A adolescência é um período que exige muita atenção e para o adolescente surdo ainda mais. O acampamento que o LAMALMA nos ofereceu no último mês proporcionou um ambiente muito propício para descanso, diversão e tempo de qualidade. Em certos aspectos tivemos a impressão que reencontramos alguns meninos que estavam perdidos dentro do nosso programa. Voltamos do acampamento muito gratos com os preciosos momentos que tivemos juntos. A proposta do LAMALMA é fabulosa!” – Davidson, líder da Casa Semear.

ACAMPAMENTOS, SERÁ QUE VALE A PENA?

Ministérios prosperam de acordo com a graça e misericórdia de Deus. A Casa Semear (JOCUM-BH), que atende crianças e adolescentes surdos, passou por dificuldades além das que já estava acostumada, com falta de obreiros e decretos governamentais que tornaram o trabalho muito mais moroso. O fato de termos recebido adolescentes surdos vindos da Casa Semear no Rancho das Pedras Vivas para um delicioso acampamento é um sinal do vigor da mão de Deus em favor desses jovens, que integram o sétimo grupo de pessoas menos alcançado no Brasil, de acordo com dados de agências missionárias brasileiras. A fórmula era simples: novos obreiros e novos adolescentes demandam novos relacionamentos, e um final de semana integrando, convivendo, orando e se divertindo muito é um jeito infalível de trazer pessoas a estarem face a face umas com as outras, de gerar empatia, alegria e trazê-las para presença do Senhor.

Da mesma comunidade carente, a Pedreira Prado Lopes, recebemos através da Casa Rocha (JOCUM-BH) preciosas meninas de 8 a 12 anos para lançá-las a desafios de fé e coragem em parceria com o Instituto Farol e seus incríveis voluntários. Um final de semana de estreias. Para muitas das meninas, foi a primeira noite em uma barraca, o primeiro banho de cachoeira, a primeira descida em uma tirolesa, a primeira vez em que ouviram uma historia da Bíblia em volta de uma fogueira e comeram marshmellows. A história já era conhecida, a da Ovelha Perdida, mas em volta da fogueira tudo fica mais legal. Enquanto Michele foi contando a história, os olhos das crianças reluzindo à luz do fogo mostrava o quanto estavam esperando o desfecho. Quando finalmente Michele pegou uma das crianças e a pôs nas costas, como o pastor fez com a ovelha, elas puderam entender que todas eram a ovelha perdida e careciam da bondade e graça do Bom Pastor.  O apelo foi feito, e em bom e alto som pudemos ouvir várias crianças, pedindo perdão pelos pecados e erros do passado e querendo ajuda no futuro que está por vir. Alguma dúvida de que isso ficará marcado em suas memórias?

ALÉM DAS BARRACAS E CACHOEIRAS

O LAMALMA tem muito a agradecer a Paul e Ashley Perry, pelo apoio dado e por tornar possível receber crianças e adolescentes carentes em sua propriedade, bem como também ao Instituto Farol e à Caverna de Adulão, nossa igreja, que se mobiliza de forma espetacular para garantir o espaço e a alegria de tantos jovens. São pilares estruturais do trabalho hoje do LAMALMA. Mas há uma realidade por trás mais complexa que gostaríamos de esclarecer. O LAMALMA somos basicamente eu, Michele e Wagner, nosso amigo e meu parceirão desde os saudosos anos 80. Obviamente, como todo projeto germinal, fica difícil separar o que é pessoal do que é ministério. Mas isso é de importância ímpar, em nome da ordem, da transparência e da independência institucional. Temos trabalhado nisso, mas a verdade é que nossa família ainda carece de maior apoio financeiro, e o que falar do LAMALMA, que basicamente existe à custa dos nossos recursos (salvo quando recebemos ofertas específicas para aquisição de equipamentos ou mantimentos para os acampamentos). Portanto, a palavra para aqueles que nos apoiam no momento é confiança naquilo que estamos fazendo.

 

LAMALMA E SEUS DESAFIOS

Oramos para que consigamos recursos para abrir uma conta exclusiva do projeto, bem como condições para pagar uma contadora (que já tem feito a caridade de nos orientar e ajudar até o fim do ano por um valor simbólico). E agora que se tornou uma ONG, o Lamalma tem taxas para pagar e também precisa de um veículo (usa-se o nosso particular) e detalhes mil que me fazem surtar... No plano prático, temos o alvo de conseguir patrocinadores para adquirirmos 18 travesseiros infláveis (aproximadamente R$270,00) e 18 lanternas de cabeça (R$270,00). Se você quer se tornar um parceiro do LAMALMA entre em contato conosco!

 

Forte abraço!!!

Romeu de Almeida

11/07/2017

 

BARRACAS ALAGADAS

A previsão era de chuva. E, fato, choveu muito à tarde. Molhou nossa lenha. Consideramos utilizar o dormitório para pernoitar. Mas o clima era de aventura, e mesmo assim as crianças preferiram montar acampamento, e a Palavra foi pregada à luz de uma reluzente fogueira – a umidade da lenha sucumbiu aos nossos esforços de acender a fogueira e à vontade de saborear uns marshmallows. Acima de nós um cenário pitoresco de um céu explodindo com relâmpagos em cores que nos lembravam de que a tormenta nos espreitava.

Estávamos confiantes que, a despeito das previsões e dos lembretes que luziam sobre nossas cabeças, o aguaceiro não desceria sobre nossas barracas. Qual nada!!!  Essa parte da história termina comigo de madrugada sacudindo tenda por tenda, acordando nossos pequenos explo-radores e instruindo-os a correrem com seus sacos de dormir para o dormitório. O momento em que percebi que não teria outra solução foi quando o barulho da chuva passou a ser mais alto do que o ronco da Eva em nossa barraca. Frustração? Para mim talvez, mas para a criançada foi mais uma experiência nova e divertida que garantiu um final de semana inesquecível para meninos de 9 a 12 anos atendidos pela Casa Rocha (JOCUM-BH).

Em parceria com o Rancho das Pedras Vivas, o Instituto Farol e voluntários dedicados, o LAMALMA tem garantido mais 5 acampamentos até Julho desse ano. E a agenda está aberta... Já no campo burocrático, uma importante vitória foi consumada, com o registro do projeto junto ao poder público. Estamos agora devidamente registrados como uma ONG. Grande vitória! Agora podemos, por exemplo, abrir uma conta para movimentarmos a grana que não temos – ainda! Durante o verão, que corresponde ao período de chuvas por aqui, acampamentos não são muito recomendados.

E, de fato, o primeiro do ano aconteceu apenas em Março. Porém, antes disso, nos envolvemos no planejamento de uma grande intervenção evangelística que acontecerá em Julho em parceria com várias igrejas e ministérios que têm caminhado conosco, como o Rancho das Pedras Vivas e o Instituto Farol.

Romeu de Almeida 10/04/2017

MUTIRÃO

O exército pelejando em campo aberto, lançando mão de todos os seus recursos para sobrepujar o oponente. O combate vai se arrastando, na mesma medida em que as forças vão se esvaindo. É quando o inimigo, que parece ficar gradativamente mais forte e implacável, é surpreendido pelos flancos por tropas aliadas, carregando o nosso estandarte, armadas até os dentes e cavalgando com vigor espartano. A sensação de alívio e disposição recobrados faz com que os braços cansados ergam mais alto suas espadas. Foi mais ou menos assim que nos sentimos quando, num sábado ensolarado, trabalhávamos em mutirão para conseguir o usufruto de um belo espaço para realizarmos acampamentos com crianças carentes. Para mim, o reforço que chegara à tarde fez o tronco que precisávamos arrancar parecer menor do que era na parte da manhã. Foi revigorante e, sem exagero, abençoador ver pessoas dispostas a ajudar em uma causa que não é nossa, mas de Deus. Com esse trabalho conseguimos garantir dois acampamentos em um local bacanérrimo para as crianças.

 

ACAMPAMENTO

Um deles se deu nos dia 19 e 20 de Novembro, com adolescentes da Pedreira Prado Lopes atendidos pela Casa Rocha, da JOCUM-BH. Havia duas semanas a chuva não parava, mas uma janela de sol se abriu para aquele fim de semana – para voltar a cair nos dias seguintes – e os jovens mergulharam em aventuras que jamais imaginariam. Com a incrível experiência em cursos de sobrevivência na selva e oficinas ao ar livre, o Projeto Farol, liderado por Roberto Gomes, o Leão, trouxe ao limite a confiança e determinação dos meninos – logo eles, que ao se pendurarem numa plataforma, passavam de um estado de marra para os gritos de “me puxa de volta, professor!!!” Atividades ao ar livre, trilhas, conversas ao redor da fogueira, devocionais e orações com os rapazes marcaram momentos preciosos nas vidas de todos os presentes. Para mais fotos, clique aqui.

Ao final do acampamento uma pergunta foi feita aos adolescentes: “O que vocês aprenderam aqui que vão levar pra vida toda?”. A resposta foi de fazer o coração chorar de alegria quando um deles disse: “Que eu preciso escolher minhas amizades como Jesus faria.” Sensação de dever cumprido e toda glória a Deus.

Temos muitos motivos para agradecer à equipe do Rancho das Pedras Vivas, do Projeto Farol, da Casa Rocha, aos brutos que cederam seus muques e às pessoas que doaram dinheiro e tempo de oração para que tudo isso acontecesse. Muito obrigado! E a trilha continua!

REGISTRO OFICIAL DO LAMALMA

Outra questão em que estamos trabalhando é no registro do projeto. Poderíamos dizer que já temos uma diretoria – só que ainda não. Uma produtiva reunião foi feita em Setembro, e pessoas já envolvidas e cientes de como funciona todo o trabalho discutiram o estatuto e foram eleitas para compor os quadros do Lamalma Aventuras Outdoor. Foi um encontro produtivo e dinâmico, ao contrário da burocracia brasileira, que custa caro e puxa o freio de mão de qualquer iniciativa que depende de carimbos. É um pântano que teremos de atravessar. Uma aventura, só que por trás de mesas e balcões... Orações muito bem-vindas!

UM NATAL CRISTOCÊNTRICO

Muito se fala em ações e sobre estar em movimento. Mas na verdade, como disse o apóstolo Paulo, se não tivesse amor, de nada valeria. Deixemos que o amor aflore em nossos corações, principalmente nesse período em que celebramos o nascimento do nosso Salvador e Senhor Jesus Cristo. Pois é esse amor que transforma, redime e nos impulsiona à ação. Que possamos nos permitir que nossas ações vindouras sejam um desdobramento do amor contagiante e irresistível de Jesus. Desejamos a todos um Natal Cristocêntrico e um 2017 cheio de graça e paz. Deus os abençoe!

Romeu e Michele

17/12/16

ÁGUA NA CABEÇA

Junho não chove. Ponto. Não na região central de Minas Gerais. Não chovia nem quando tinha de chover, no verão, por que agora? Daí minha indignação com o aguaceiro que descia um dia antes de um acampamento em pleno Outono. Consultando a previsão do tempo a todo momento – que indicava chuva, chuva e mais chuva – e postergando ao máximo a montagem das barracas – pois o céu parecia estar abrindo –, eu estava no melhor estilo proncovô (os mineiros entenderão) com o equipamento de camping. Não queria montar barracas entre quatro paredes. Queria ver as crianças dormirem no friozinho do campo aberto ao som de grilos e acordarem com as nuvens repousando sobre o mar de Minas ao som de pássaros. Decidimos reunir as crianças do CECORE – Associação Corredores do Reino – para perguntar se queriam correr o risco. Advinha?! No melhor estilo Lamalma, foram unânimes ao dizer: “Ao ar livre!” Mas passei a noite em claro pedindo a Deus que deixasse aquelas crianças terem uma experiência diferenciada.

DE VOLTA À TRILHA

As pernas em V formando um ângulo de 90° em relação à rocha e as mãos corretamente posicionadas na corda que os sustentavam significavam que nada mais aqueles jovens podiam dizer – senão com os olhos e expressões faciais –, mas vencer o frio na barriga e curtir a descida de rapel. A aventura foi proposta a adolescentes e jovens surdos atendidos pela Casa Semear, da JOCUM-BH.

 

O final de semana dos dias 02 e 03 de Abril de 2016 marcou o início de uma nova fase do projeto LAMALMA. Desde nosso retorno no segundo semestre do ano passado da Holanda e Indonésia, nossas orações e esforços se concentraram no pla-

Não sei se pelas minhas orações ou se pela falta de precisão da previsão do tempo, mas nenhuma gota desceu do céu. O sábado já tinha sido de trilhas e aventura nas alturas e o domingo prometia uma bela cachoeira. “Morri e tô no Céu”, “Melhor dia da minha vida”, eram alguns dos comentários que circulavam entre a piscina e o quiosque onde saboreavam um churrasco com guaraná. Para mais fotos clique aqui.

 

Não foi um acampamento fácil. Por uma questão de incompatibilidade de agenda, desta vez não pudemos contar com ajuda de voluntários. Houve uma sobrecarga, e nos ocupamos um pouco mais com tarefas operacionais, o que nos tolheu de uma convivência ainda maior com as crianças. No entanto, tudo correu bem, e as lembranças deste fim de semana ficarão marcadas, temos certeza, na memória dessas preciosas crianças. Já estamos esquentando os miolos para articular um novo acampamento, e para isso contamos com as orações e apoio de todos. Forte abraço!

Romeu e Michele

16/06/16

nejamento de acampamentos envolvendo uma logística itinerante (para mais detalhes, clique aqui).

 

Concomitantemente, já no ano passado começamos a visitar fazendas com o intuito de comprar um pedaço de terra em que pudéssemos desenvolver o projeto, sem grana alguma, talvez com o mesmo sentimento que Noé teve enquanto construía sua Arca, sem qualquer sinal de gota alguma do céu. Mas, cientes de que tudo se dá a seu tempo, mergulhamos no desafio de promover acampamentos da maneira que fosse possível no momento, ou seja, estabelecendo parcerias com diversas pessoas durante as diferentes etapas do processo.

Assim foi, portanto, numa mobilização magnífica da nossa igreja, a Caverna de Adulão, de onde 16 caboclos disponibilizaram seus músculos para pagarmos com mão de obra o aluguel de um rancho incrível encravado no meio das montanhas. Em outras palavras, na falta de grana, pagamos com suor. Sempre com vistas à obra missionária. É sempre tocante ver a igreja envolvida no que realmente importa, seu chamado, sua missão. Depois foi a costura de datas, tanto das disponíveis na fazenda, como do grupo que convidamos. Detalhes sobre o que levar, levantamento de recursos financeiros para a comida, programação, parcerias com pessoas que pudessem se voluntariar para monitorar o grupo em atividades específicas, etc. Foi como reger uma orquestra – na verdade, carregar o piano, afinal, foi Deus quem orquestrou essa sinfonia bastante, digamos, improvável.

O arranjo saiu melhor do que a encomenda. Paul Perry, o proprietário do Rancho das Pedras Vivas, disponibilizou uma área muito bacana para a fogueira a uma distância segura das barracas, e seguiu conosco pela trilha que levava a uma bela cachoeira. Roberto Gomes e Chacal, do Projeto Farol, que estavam no local durante o acampamento se voluntariaram a fazer o rapel com todo cuidado e segurança, propiciando aos jovens experiências como a relatada no início deste texto. Piscina, Palavra, boa comida (com direito ao tradicional churrasco!) e, o mais importante e motivo de todo esse trabalho, os adolescentes e jovens da Casa Semear, que encantam e se deixam encantar com sua alegria e afetividade. Um grupo, de fato, especial.

O PRÓXIMO PASSO

 

Com o número alto de voluntários que foram trabalhar para ganharmos o direito de usufruto de algumas instalações do rancho conseguimos não apenas um final de semana, mas dois! Os esforços agora se dão no sentido de conseguir levantar a grana para comprar a comida para o segundo grupo – certamente de crianças entre 8 e 12 anos vindas de uma comunidade carente. É uma excelente oportunidade de participar conosco desse investimento em pessoas, que é o que realmente importa. O valor não é nada assombroso – cerca de R$700 reais por acampamento–, mas a força da contribuição das pessoas é fundamental. Participe dessa aventura com a gente! Clique aqui e entre em contato.

AGRADECIMENTOS

 

A arrancada para essa fase do projeto contou com o lançamento de um vídeo institucional produzido por Jonathan de Jong, da escola de design da JOCUM-Piratininga (SP). Com o pouco tempo que teve para captar as imagens de um acampamento e os testemunhos das pessoas envolvidas na concepção da ideia, ele conseguiu transmitir com muita intensidade o coração do projeto. Também fica nosso agradecimento ao premiado fotógrafo Wagner Flores, que integra a equipe LAMALMA e agrega vulto ao trabalho eternizando momentos e sorrisos com fotos de tirar o fôlego. (Para mais fotos clique aqui.)

 

PEDIDOS DE ORAÇÃO

 

Estamos no ponto de bala para o próximo acampamento, dependendo apenas da verba para alimentação. Por favor, ore por isso. Também, não percamos de vista uma necessidade clara do projeto, que é a aquisição de um espaço para nos fixarmos a fim de adaptar e desenvolver o local, e assim poder abençoar um número infinitamente maior de crianças e adolescentes. Participem conosco! Que Deus os abençoe grandemente!

 

Romeu e Michele

20/04/16

SER CRIANÇA É UMA AVENTURA

Telefones:

(31) 992154422 - Michele

(31) 991370753 - Romeu

SEDE:

Rua Angelo Rabelo, 35 Sta. Tereza

Belo Horizonte, MG. Brasil

Cep - 31010-190

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now